segunda-feira, 16 de julho de 2012

porra, tati, que vacilo

gente.

você fala de machismo, homofobia, patriarcado, opressão, ditadura da beleza, sexismo. você fala de transfobia, de cissexismo, de militância, de politicamente correto. você fala de racismo, de classismo, de elitismo, de socialismo. você gasta a saliva correspondente à uma vida inteira de Adolf Hitler para tentar argumentar que é machismo dar rosas à mulher no dia 8 de março no discurso ~ mães donas-de-casa lindas ~ que é babaquice justificar estupro.

e aí você tem que ler ESSE texto lindo e maravilhoso.

ela não disse isso, disse? espera... ela REALMENTE escreveu isso. tipo, SÉRIO.

gente, nada dói mais que uma coisa dessas escrita por outra mulher. NADA. É doloroso, é horrível, é sofrível. 

é aquela dor de soldado que se sente traído, sabe? aquela coisa de "meu chapa, tu tava aqui do meu lado, viveu comigo, sabe do que tô falando e vai lá e fica dando razão pra lá? dando tiro CONTRA a gente? porra vei, traiu o movimento". bem esse sentimento dentro, me deixando aborrecida com o mundo. e é por isso que feminismo anda a passo tão lentinho, sabe? porque se a mulherada percebesse as amarras que nos prendem, dava pra sair. mas nada é mais eficiente pra deixar uma boa massa acorrentada à preconceitos e injustiças do que deixá-las acreditando que aqueles que querem se libertar que são ridículos. isso vale pra todo mundo. vale pra gay, vale pra gente pobre, vale pra negro, vale pra trans*, a porra toda. vale pra todo mundo que é oprimido de uma forma ou outra. 

eu entendo homem machista. bate aquele ódio no âmago do meu ser, mas entendo que se você está numa posição de privilégio, é simplesmente mais difícil abrir mão dele pra conseguir empatizar com quem não tem tais privilégios (se vocês discordam, experimentem se sentirem trans* - se forem cis - ou se sentirem gays - caso sejam heteros - por alguns minutos. é difícil, porque boa parte das coisas que você nunca percebe, são justamente as coisas que fazem todas as diferenças pros desprivilegiados).

mas não entendo mulher machista. não entendo mulher que escreve um texto tão babaca dele e acha que tá bom o suficiente para publicá-lo em um portal. não entendo mulher que acredita que mulherada é tudo falsa. que não dá pra ter amiga mulher. que a gente tá sempre competindo. acho inaceitável, porque eu acredito firmemente que se você parte de um pressuposto que todas as pessoas de x características (ex: ser mulher) são assim ou assado (ex: ser falsa), você só encontrará pessoas x assim ou assado, porque não prestará atenção nas pessoas x que são outra coisa. você simplesmente distorcerá as pessoas que vai conhecer por aí, tentando adequá-las à imagem que você tem delas, que é totalmente errada, baseada em preconceitos.

achei errado, achei feio, achei cafona. achei super tenso uma autora como Tati Bernardes que é conhecida no meio e fora dele e tudo o mais ter um texto desses por aí. sem querer entrar nessa onda de ~mimimi patrulha feminista pra cima de mim~ mas, vei, quando uma mulher se levanta e diz NÓS, MULHERES, SOMOS COMPETITIVAS E FALSAS MESMO, PFFF, você espera mesmo conseguir melhorar esse cenário? meu amor, se tu acha que ~ somos competitivas e falsas ~ o problema não está nas outras mulheres. está em você. é um problema todinho da sua pessoa.

trai o movimento não, tati. sério.

/morre apenas.

7 comentários:

Blanca Aleks disse...

"quando uma mulher se levanta e diz NÓS, MULHERES, SOMOS COMPETITIVAS E FALSAS MESMO, PFFF, você espera mesmo conseguir melhorar esse cenário? "

MÁ NUM É?

BOOOOOOOOOOOM.

Pior é que a tati é toda VAMOS FALAR DE SEXO, EU SOU MULHER E FAÇO MUITO SEXO, EU FAÇO DE HOMEM SEM TER VERGONHA. Daí a moça me solta uma parada dessas. TOTAL decepcionei. Acho que ela escreve bem, acho que ela tem potencial.

O pior, Luna, é que ela é considerada modelo por muita gente. E escreve pro portal da Alfa. Aí a gente fica como, né? Opa, se ela, sabidíssima, diz, então é porque é.

Prefiro empobrecer a ser obrigada a publicar uma parada dessas pra pagar o aluguel. Aliás, ela faz isso só pelo nome, já que é roteirista da Globo.

Tati Sant'Anna disse...

Putz, falou tudo. ._.'
O pior é que esse tipo de coisa só fortalece os estereótipos, porque, já que é uma mulher que generaliza as mulheres (nem pra falar que só ela é assim, né?), quem lê acha que é uma justificativa, uma prova de que toda mulher é e deve ser vista como alguém que tem essa forma de pensar.

Patrícia disse...

Nossa, que facada esse texto da Tati. Sério mesmo. Sempre achei que ela tinha uns textos bem legais, sinceros, etc. Só que com esse caiu meu conceito...
Achei horroroso o que ela escreveu. Como você disse no começo do texto, você tá aqui defendendo toda uma causa e vem uma pessoa conceituada botando fé no oposto. É uma traição mesmo.
Amei seu texto. Aliás, adoro todos. Abrem muito meus olhos e reforçam minhas ideias. Sério Luna, você é ótima.

Aline J. Romy disse...

Tá que existe muita mulher falsa no mundo. Mas isso quer dizer que não existem também muitos homens do mesmo jeito? Não gostei dela generalizar a porra toda. A complexada e falsa na historia é ela. Prq sou mulher e tenho amigas mulheres maravilhosas que não julgam as outras por aparências. Enquanto tenho amigos homens que adoram ridicularizar homens e mulheres que estão mal vestidos etc.
Fiquei bem decepcionada com esse texto da Tati, prq ela escreve super bem. Uma pena isso.

Cláudia disse...

Pois é né Luna, é muito triste isso. Não consegui ler o texto da Tati todo. É horrível demais.

Cris Cavaletti disse...

Acho que há uma coisa a ser dita: gostando ou não há muita competitividade no universo feminino, competição que é em parte trabalho da mídia que cria padrões de mulheres perfeitas e para conquistar isso em frente ao mundo, tendemos a atacar os mais fracos para subir (no caso, as mais feias). Bem, essa é a minha opinião.
Mas achei o texto bem desnecessário no geral, foi bem fútil. A última frase me chocou de uma maneira triste "Porque é sempre mais complicado quando tem pau envolvido." e acho que no geral, tudo culmina num texto bem fraco.

Coral Fortunato disse...

De verdade? Nunca curt muto os textos da Tati...sempre achei meio isso mesmo, um machismo escondido. Mas esse texto dela me deixou realmente chocada!

Ela é uma vaca! Como vc disse, maninha, o problema é todinho com ela!