terça-feira, 17 de agosto de 2010

Voltando com os petralhas versus os reaças. Algo assim.

Hoje começa o maldito horário eleitoral. Sabe como é, aqueles insuportáveis cinquenta minutos todo santo dia, entre o jornal e a novelinha das oito, com pessoas falando que vão dar quatro quatrilhões de empregos, abrir 6851 escolas, 418410 hospitais e melhorar o nosso Carnaval. Criam jingles ridículos (e nem vi os outros, mas o de Serra ganha como ridículo. Meu filho, você é da oposição de Lula. Como é que, cargas d'água, seu jingle é todo "Quando Lula da Silva sair, é o Zé que eu quero lá"? Não foi o SEU lado que passou os últimos oito anos esperneando contra a petralhada? Não foi o povo da direita, por acaso, que vai votar em VOCÊ que despreza Lula e acha que Dilma vai fazer Brasil virar uma ditadura comunista? Que merda que Lula tá fazendo em seu jingle? Está usando o mandato dele para ver se consegue ultrapassar Dilma nas pesquisas? Sua cara meiguinha na capa da Veja não funcionou?), dançam coisas toscas, dizem pra serem votados em troca de promessas, e claro ninguém assiste, muito menos presta atenção.
Ainda por cima, é de graça. Ninguém tá realmente ganhando com aquele horário eleitoral. A não ser os políticos que ganham um espaço para veicular suas (des)propostas. Mas eu posso prever o que vem por diante:

A Ibope disse que, pela primeira vez, Dilma supera Serra nas intenções da pesquisa. Perdão, mas você disse "primeira vez"? Queridinhos, Serra nunca foi realmente maioria aqui no Brasil. Todas as outras pesquisas desde a Datafolha até aquela bestinha de blog anunciam: Dilma está na frente. Ela está na frente porque ela tem Lula por trás, e que a Veja se mate por causa disso, o povo ama Lula. Eu não sou lulista, petista, qualquer coisa desse tipo. Mas eu sou honesta e eu não fechar os olhos à verdade: as pessoas querem que Lula continue com seu governo, e pra isso acontecer, vão votar em Dilma. E creio que a mídia convencional não está funcionando. Todas as revistas desprezam Dilma. Eu ainda não vi os debates, mas pelo que acompanhei pelas notícias, Dilma recebeu críticas por, aparentemente, ser durona no trabalho. Não entendi isso muito bem. Qual o problema de ela ser durona? Se ela quer ser presidente de um país com 195 milhões de habitantes, ela TEM QUE ser durona. Ela não pode nem ter cara de frágil, nem ser frágil. Ela tem que saber se impor, saber mandar, saber cobrar. Se ela não souber liderar, ela pode voltar ao posto de ex-primeira-dama numa boa. E eu sei que a Veja a chama de terrorista. Parece que todo mundo a chama de terrorista.

Mas eu me pergunto quem realmente pesquisou o passado dela. Quem foi lá e entrevistou os militares? Por que ninguém lembra da época e do contexto cultural? Era ditadura, mano. Ou será que essas pessoas acham OK a gente passar por um sistema brabo que prendia as pessoas de opiniões diferentes? Eu não sei sobre o passado dela e não sei o que ela fez para ser considerada bandida hoje. Acho que foi explodir um banco. Não me importa - os dois lados tem coisas sujas para se esconder. Ou vão me dizer que é maravilhoso o lado da direita? Se não me engano, a emissora Globo apoiou a ditadura militar. Ah, sim, e sempre rola a polêmica de a Globo não ter realmente divulgado as Diretas Já e ter apoiado a candidatura de Collor (que nem vou julgar as pessoas que votaram nele. Na época, ele realmente devia parecer mais atraente do que Lula com sua cara cheia de barba e cara de "sou capaz de matar um tigre enquanto bebo a água marvada"). Mas ninguém lembra disso. Ninguém lembra que a Globo, que a Veja, que toda essa mídia de oposição apoiou guerras insensatas e ditaduras cruéis. Veja, EU li suas matérias sobre a Guerra do Iraque. E vocês apoiavam Bush, lembra disso? Por que não lembram disso? Jogam isso debaixo do tapete? Sorry, EU lembro perfeitamente que vocês apoiaram o presidente Bush que simplesmente invadiu Iraque com o pretexto de armas nucleares. Ahahaha, sem permissão da ONU (como se ela mandasse algo, haha). E tudo o que fez foi enforcar Saddam não sei quantos anos depois. Ah, tá, Iraque agora está em uma época de prosperidade e democracia. Sei.

Digam isso para os órfãos perdidos e famílias destroçadas pela guerra.

Vivem nessa guerra idiota e louca entre esquerda e direita, manipulando loucamente os fatos, xingando um a outro e acreditando em coisas sem lógica. Lula não é tão ruim assim, mas também não é esse deus todo. E vamos lembrar aqui, porque parece que muita gente não sabe: volta e meia vejo alguém falando que só nordestino vota em Lula, mas somente dois estados (dos nove!) são governados pelo PT. Quem ganha mais é o PSB, Partido Socialista Brasileiro. E há bastante PMDB também, e muitos deputados são do DEM (medo. DEM, pra mim, me lembra ACM que me lembra ditadura e repressão). Se bem que a maior taxa de aprovação do PT vem do Nordeste mesmo. De acordo com essa fonte aqui, 46% dos nordestinos querem Dilma, ao passo que somente 27% querem Serra. Já no sudeste, 35% quer Dilma e 35% quer Serra (o que significa que em SP, RJ, MG e ES, a coisa tá equilibrada. Mais ou menos. Dilma ainda tá na frente!). E Marina, coitada, tá lá atrás nas intenções. Mas ela é boa pra tirar PT e PSDB do foco, como uma tentativa de centralizar. Ou sei lá. Não entendo muito de política, confesso. O que entendo mesmo é manipulação da mídia, e é isso que palpito. Tiro onda com a Veja que se acha A revista imparcial, mas na verdade é lixo. Perdão, é isso que é. Ok, eu até concordo com a parte mais cultural, sabe. Cinema, literatura, TV.

Mas política? Minha cara Veja, você nada sabe da vida. Uma revista que chama Marat de marxista não merece meu respeito. Uma revista que coloca Serra na capa com a cara mais meiga do mundo, ao passo que Dilma é retratada como o próprio cão da Apocalipse, não tem o direito de se denominar 'imparcial'. Uma mídia que vive falando de petralhas radicais e ditaduras cubanas, mas essa mesma adora falar com ódio de Dilma NÃO PODE se dizer imparcial, neutra, normal. Porque eu vejo as revistas se jogando uma contra a outra, e sempre metem a gente, povão, no meio disso. Vivem chamando Bolsa-Família de esmola (bem, esmola a gente dá quando pedem e não pedimos nada em troca. Que eu saiba, você precisa se cadastrar e provar que precisa. Além disso, você precisa que seus filhos estejam na escola. E é uma quantia pouca, menor que um salário mínimo. Não vejo isso como esmola) e vivem falando que os pobres vão votar em Lula, Dilma, sei lá qualquer coisa, pra continuarem vivendo com a esmolinha. Claro que vão. Cada um vai votar no candidato que beneficiar. Eles não votaram no oponente de Lula (geraldo alquimin. Eu sei que não se escreve assim, mas eu quis brincar, me deixem) porque ele queria privatizar várias coisas, e não interessa à população que tenha que pagar por saúde e educação. Afinal a gente privatizou as companhias telefônicas e vejam só a merda que deu.

Ou você vai falar que a nossa internet oferecida por essas companhias é mara em comparação com o restante do mundo?

Hoje começou o nosso pequeno inferno brasileiro que surge a cada quatro anos. E nesses meses que virão até outubro, teremos a perspectiva dos próximos quatro anos. Eu nunca fiquei tão tensa para saber quem assumirá a faixa presidencial. Eu nunca tinha ligado, mas agora eu estudo em uma instituição federal, uma das que foram favorecidas pelo governo de Lula. E eu, pela primeira vez, votarei pra valer. Não quero votar nulo, mas não quero votar sem saber o que me espera. Provavelmente Dilma ganhará e a mídia urrará de ódio (eu não sou Dilma, mas, cara, até eu me irrito ao ver como as pessoas acham que Dilma vai fazer a gente virar uma ditadura estilo Chàvez. Porque não se preocupam com a China que agora é o segundo país mais rico do mundo? Se a China cresceu tanto assim, poderá, em alguns anos, superar os EUA. E vai ser mais negócio a gente virar comunista, rs) E eu não sei minha posição política. Eu tenho ideologias: quero o direito ao aborto, veto às figuras religiosas em repartições públicas, liberar geral a pesquisa de células-tronco, incentivo às instituições técnicas federais, sistema de saúde público e de qualidade, educação infantil em tempo integral (e que comece mais tarde. Começar as aulas sete e dez da manhã é PRA MORRER!). Também gostaria que o casamento gay fosse legalizado e que tirem, de vez, os partidos religiosos da bancada (ao meu ver, religião e política são água e óleo. Nada de partido evangélico dizendo que Brasil é país do Senhor. Vão pro inferno!). Mas eu não tenho partidos.

Nem quero ter. Eu gosto de ser apartidária, encarando os candidatos com aquele olhar presunçoso de quem tá pouco se lixando. Mas quem quer que governe o Brasil, por favor, não seja idiota. Não seja FHC. Porque, FHC, você foi legal com o plano Real. Mas meus professores tem trauma até hoje dos seus tempos, devido à sua mania de querer sucatear o ensino federal... e isso não foi legal.



Vocês viram a imagem que a Época publicou da Dilma? Eu, que nem sou petista, nem lutei na ditadura, adorei. Achei a imagem muito digna, muito cara de "eu fui lá e briguei pelo país". Aparentemente a matéria era pra sacanear Dilma, mas nem funcionou. A ilustração está rodando o Brasil em forma de panfletos e camisetas, rs. Aqui a matéria da Época, pra quem quiser ver. Nem li a matéria, vale a pena lembrar.

5 comentários:

Aline J. Romy disse...

Luna, como sempre seus post's me surpreendem. Eles são os unicos posts grandes que não tenho preguiça de ler até o fim, sério mesmo. Nunca me preocupei com política, mas acho que há 4 anos atrás eu não tinha cabeça pra pensar nisso e muito menos antes desses 4 anos. Mas agora que estudo e sei da realidade do país onde vivo desejo realmente que essas eleições traga bons frutos pro Brasil. Legalizar o aborto, escola e saúde pública de qualidade, legalizar o casamento gay e as pesquisas de celulas troncos, como você citou. Mas também melhorar os transportes públicos e tentar resolver a historia dos sem-terra. Enfim...tbm não sei ainda em quem votar, mas fico com odio do que a midia faz com a Dilma, principalmente Globo e Veja que se dizem imparcial.
Muito bom o post!
Beijos ;*

Cláudia Machado disse...

Realmente achei o post bem interessante. Você consegue perceber coisas, como a manipulação da mídia, por exemplo, que muitas pessoas mais velhas não conseguem ver, ou fingem que não percebem. Sobre a Veja, concordo plenamente com tudo o que você disse, pois felizmente tive um pai que me mostrou as falhas dela desde cedo. Sobre a TV, não me arrependo nem um pouco de não a assistir (quase) nunca.
Eu tenho 15 anos, ainda não posso votar, mas sei que quando eu puder, terei que me empenhar para saber sobre cada candidato. Tenho uma lista de sites confiáveis em alguma Superinteressante aqui em casa, que eu li quando tinha uns 12 anos, e guardei para quando fosse necessário. Quando eu puder votar, quero realmente estar preparada.
Ah! E eu sou totalmente contra pesquisas de opinião. O fato de eles nunca terem perguntado nada para os meus pais e nem para meus conhecidos me assusta. Elas podem até ser verdade, mas tem gente que realmente tem uma espécie de preguiça de pensar sobre quem votar ou algo do tipo, e votam em quem está ganhando, pensando algo como ''ah, se fulano de tal está ganhando, por que não votar nele? Meu voto não vai fazer diferença, ele vai ganhar mesmo!'' E eu acho isso completamente errado. Se o candidato em que eu pretendo votar está ganhando ou perdendo não importa, o que importa é que eu acredito que ele possa fazer algo bom para meu pais. Ou pelo menos tentar.
Posso estar errada, mas é errando que se aprende.
Depois dessa viagem, repito: Seu post foi escrito com uma desenvoltura e clareza muito grandes, que eu gostaria de ter. Parabéns!
Beijos

Anônimo disse...

Amiable brief and this enter helped me alot in my college assignement. Thanks you seeking your information.

Cris Cavaletti disse...

Bem,eu falo como quem não votaria nem em Dilma,nem em Serra (ok,eu sei que a Marina não ganha,mas eu gosto de me iludir,ok?): os dois lados tem seus podres.É verdade que ao que parece a Dilma foi mandante de assassinatos e não sei o que lá,e é verdade que o Serra é um banana e vai ferrar com o Brasil,mas o que estão fazendo de anarquisar a Dilma não é nada bom.E eu li metade da reportagem da Época e ela não é nada boa para imagem da Dilma,mas achei a imagem quase "Che" de tão forte.

Marcelle disse...

cara de "sou capaz de matar um tigre enquanto bebo a água marvada" rsrs.Adorei!Eu assisto a -propaganda política e bom,eu não gosto da Dilma então aco até bom a Veja falar mal dela.Tipo ela matou pessoas e tudo o mais.Eu não sou a favor de ensino integral.Credo são só crianças!Não merecem passar o dia todo dentro de uma escola mas quanto a mudar o horário eu concordo.Também não sou a favor de aborto ou de tirar os partidos religiosos,pois eles tem tanto direito de ter religião quanto vc de não ter,mas o resto concordo.