domingo, 15 de abril de 2012

pacientes, sinceros, sem medo da dor

Eu tenho uma imensa, enorme, quase patológica ligação emocional com a série Harry Potter.

Oh, não, eu guardo certo desprezo pelos filmes. Nunca tive nenhum amor pelos filmes, pelo elenco, pelos prêmios. Não tenho a menor raiva de Harry Potter nunca ter tido um Oscar que fosse. Não faço questão de ter coisas de Harry Potter: cachecóis, varinhas, etc. E eu quero conhecer o parque de Harry Potter, mas não tenho isso como um projeto de vida nem nada. Eu apenas amo os livros e somente eles.

E desde que comecei a ler a série, eu amo a casa Lufa-Lufa. Desde o primeiro livro, eu entendia que Lufa-Lufa seria a casa onde eu viveria. Eu nunca mudei. Agora ultimamente eu vejo as pessoas discorrerem sobre que casas pertenceriam e se o teste do Pottermore é compatível ou não com o que elas achavam. Eu só estendo meu profundo desprezo ao teste do Pottermore. Vocês podem considerá-lo oficial e tudo o mais, mas eu realmente lamento por quem acha que dez questões ridículas podem definir a sua personalidade e encaixá-la em uma das quatro casas. Como se isso fosse cabível. E eu acho que existe uma diferença enorme entre você querer pertencer à uma casa e você ser de uma casa.

Porque Lufa-Lufa é a casa que eu mais amo

Lufa-Lufa é a casa mais ignorada. Ela tende a ser desprezada pelos próprios leitores simplesmente porque não há informação suficiente sobre elas, e as que ela tem não são glamourosas o suficiente. Temos um fantasma Frei Gorducho que não tem uma grande história como a fantasma de Corvinal, a Dama Cinzenta. Não temos um grande enigma na nossa porta ou uma senha que muda a cada quinze dias nas masmorras. Não temos um professor maldoso como Snape sendo nosso diretor, ao contrário, temos a profª Sprout, amigável e sempre suja de terra. Não temos sequer um metal como uma das duas cores: Grifinória tem o dourado e vermelho, Sonserina o prata e verde, Corvinal o bronze e azul. Lufa-Lufa se contenta com o amarelo e o preto, como um quarto lugar.



As pessoas consideram que Lufa-Lufa é a casa do "resto". Isso não pode ser mais distante da verdade. É verdade que Grifinória é a casa dos corajosos, Sonserina dos ambiciosos e Corvinal dos inteligentes e as pessoas empacam em Lufa-Lufa é a casa dos...? Justos soa vago. Mas é exatamente isso. Lufa-Lufa é a casa dos iguais. É a casa das pessoas que considera que todos devem ser tratados com igualdade e justiça, independente de você ter uma família rica ou não, de ser puro-sangue ou não. Isso não fará diferença. O que vale é seu real empenho em se sair bem, em cumprir o que você prometeu, em ser leal ao que você acredita. Lufa-Lufa é a casa de pessoas que não possuem nenhum desejo de serem heróis por nada. Se um lufa-lufa é herói, ele não fez isso porque queria. Ele simplesmente fez o que achava que era certo pelos próprios princípios, e não porque pretendia ganhar um busto na praça de homenagem.

Um dos únicos momentos que a personalidade real de Lufa-Lufa é retratada é no terceiro livro. É um dos melhores momentos que passam despercebidos por muitos leitores. Em Prisioneiro de Azkaban, Harry cai de uma altura de 15 metros em um jogo de quadribol de Lufa-Lufa. Um dementador chega ao jogo e Harry passa mal, e todos percebem. Porém entre o tempo que Harry passou mal e começou a cair e o tempo que todos perceberam, Cedrico Diggory, o apanhador de Lufa-Lufa, captura o pomo. Se dependesse de Cedrico (e Cedrico é um personagem que reflete a personalidade de sua casa), o jogo teria sido cancelado porque não houvera justiça. Não era uma vitória digna se o oponente não teve as mesmas condições de jogar. Se Harry tinha caído e não tinha condição nenhuma de capturar o pomo, como podia Cedrico consentir em ganhar desse jeito? Não era justo e é nisso que consiste a beleza da casa: ela não se incomoda em perder. Mas ela quer honestidade, seja na derrota ou na vitória.

Outro momento bom é também com Cedrico em O Cálice de Fogo. Harry, no alto de seu heroísmo e altruísmo, não quer capturar o troféu. Mas Cedrico diz que Harry salvou a vida dele. E ele propõe, então, que peguem os dois o troféu juntos. Seria fácil pra Cedrico ficar sozinho com o troféu e obter uma vitória que Lufa-Lufa não conseguia em anos. Mas não é esse o comportamento da casa. É uma casa que preza a honestidade e a vitória pelas condições iguais.

Por isso guardo tanto amor por essa casa. Eu acredito, sinceramente, que seja ela a que mais me dá orgulho. Eu gosto de ver o texto do monitor da casa, descrevendo o porquê do símbolo ser um texugo (texugos são animais tranquilos, porém caso sejam atacados, podem derrotar animais maiores como lobos e ursos sem nenhum problema e são extremamente protetores com seus clãs) e comentando sobre a casa ser considerada a mais tapada. Ela é a que deu origem a menos bruxos das trevas e não é simplesmente porque é "boazinha". É simplesmente porque é a única casa, das quatro, que não tem ambição ou grandiosidade como uma das características, seja principal ou secundária. É difícil bruxos das trevas, geralmente motivados por desejos de grandeza, se encaixarem em Lufa-Lufa.

Eu fico feliz que o único teste que considero confiável (o que tem 122 questões, com 9 variações de respostas cada uma) considerou que eu era Lufa-Lufa. Fico feliz também que amigos próximos que conhecem Harry Potter me considerem totalmente Lufa-Lufa. Realmente sinto que me encaixaria nessa casa, sendo - pra mim - a melhor casa de Hogwarts.

Sobre pessoas quererem ser Grifinória e acabarem sendo Sonserina

Como o Pottermore meio que virou o ~teste oficial~ (como disse, lamento por vocês que realmente consideram o teste oficial mesmo sendo feito por Rowling e blá blá blá. Grande merda), apareceu uma boa quantidade de pessoas que se declara frustrada porque achou a vida inteira que era Grifinória e aí ~ em dez questões ridículas ~ se descobriu Sonserina. Bem, o Pottermore disse que eu era de Grifinória - de todas as quatro casas, a que menos me identifico. Se você realmente se sente Corvinal e Pottermore disse que você era Lufa-Lufa, não acredite nele. Você teve anos para ter essa opinião ao seu respeito e mais importante que tudo, são as suas escolhas que dizem quem você é - e você escolher ser uma casa ou outra faz diferença. Harry escolheu Grifinória quando o Chapéu Seletor deu à ele a opção Sonserina x Grifinória. Já Hermione se deparou com Corvinal x Grifinória, e ela escolheu Grifinória (sinceramente, acho que a inteligência dela teria sido melhor aproveitada em Corvinal. Ficando em Grifinória, ela tinha que salvar a vida de Harry e Rony o tempo todo e isso devia ocupá-la bastante). Mas eu realmente considero que as casas vão além de um favoritismo barato de fangirl.



As casas trabalham aspectos psicológicos profundos. Acho "ser corajoso" ou "ser inteligente" muito raso. Nós todos somos corajosos em muitas coisas, e covardes em outras. Apresentamos inteligência em algumas áreas e estupidez em outras. São características vagas, como "narcisista" pra leoninos e "rancoroso" pra escorpiano. Vago. Superficial. E as pessoas tentam se encaixar nas casas que mais gostam, sem considerar se elas são realmente aquilo. Elas simplesmente simpatizam com a cobra da Sonserina e pensam que deve ser tão legal aprender feitiços das trevas, então decidem ser da Sonserina - mas elas não são astuciosas, nem ambiciosas, nem espertas o suficiente. Elas não nutrem nenhum desejo de grandeza e se preocupam o tempo todo se estão machucando pessoas quando estão em busca de um objetivo. E então querem ser Sonserina? Sério mesmo?

É como as pessoas desejarem tanto ser de Grifinória. Elas vêem Harry ir em suas incríveis aventuras com seus amiguinhos e consideram que Grifinória é a casa dos corajosos, aventureiros e leais. E tentam se encaixar. Mas não se encaixam.

Eu sei que esse não é um assunto realmente sério, mas eu realmente queria mencioná-lo no blog. Gosto de analisar as coisas que vejo ao meu redor, e se for coisas que amo, é melhor ainda. Eu gosto de ver como as quatro casas trabalham aspectos de personalidade distintos. É interessante constatar como Grifinória e Sonserina são parecidos, e como Corvinal é incrivelmente parecido com Sonserina em muitos aspectos. Grifinória apresenta pessoas leais e corajosas, mas a grande maioria nunca teve que enfrentar testes de coragem em toda sua vida. Nos acostumamos com Harry e tudo o mais, mas esquecemos que a vida é sem grandes novidades pra grande parte dos grifinórios. Eles não tem que enfrentar dragões, nem comensais, nem nada do gênero. Assim como Sonserina: entram alunos todos os anos. A grande maioria não faz nenhum tipo de maldade nem nada, mas recebem o estigma mesmo assim. São estereótipos.

No fundo, quando Rowling criou as quatro casas, ela não queria dividir as pessoas. As quatro casas, quando unidas, demonstram uma força inacreditável. Quando você une Grifinória com Sonserina e então Corvinal com Lufa-Lufa, tem-se uma legião de pessoas justas, corajosas, astuciosas e inteligentes. Você tem pessoas de todos os tipos, incrivelmente talentosas no que fazem e motivadas a batalharem por algo - mesmo que cada casa dê um motivo diferente aos seus membros.

Se você reunir muitas pessoas de uma escola qualquer ou de uma cidade, descobrirá que não é diferente. Unir personalidades diferentes é sempre bom - equilibra-se o que há de desequilibrado, atenua-se o que há de extremo, reforça o que é fraco demais. É nisso que se consiste a força do grupo. E essa é basicamente uma das grandes lições de Harry Potter.




ÚNICO teste que considero decente.
→ tumblr de onde tirei print do texto do monitor de Lufa-Lufa: lifeoffthepage
→ weheartit do desenhinho de comparação: aqui
→ link da imagem dos anéis: aqui

4 comentários:

Rikki Kitsune disse...

Post muito amor, curti mesmo! Sinto-me igual a você quanto a casa, exceto que não descobri meu amor por ela tão cedo, apesar de sempre ter simpatizado. Eu entendo como deve ter se sentido quando o Pottermore te botou em outra casa, eu morria de medo disso acontecer! Espero que na nova conta venha com a gente.! :3

Roberta "Beta" Matsuoka disse...

Luna, arigatou pelo comentário no blog! *o*
Sempre passo aqui, apesar de quase nunca comentar!

Antes de vir pro Japão, eu também sonhava em fazer hanami e contemplar cerejeiras, ver hanabi e tudo mais. Culpa dos animes e mangás! XD

Hahahaha, sobre os emoticons, eles se chamam kaomoji! E eles são todos "roubados"! Também não sei como os japoneses os fazem "à mão", são muito complicados.
Eu tiro alguns desses sites, mas a maioria é do próprio iPhone, que já os traz prontos:
http://kaomoji-cafe.jp/
http://kaomoji.com/kao/text/
http://kaomojiya.com/
http://evoticon.net/

Mas tem muitos outros sites de kaomoji no Google, se não tem o que eu quero em um desses, eu vou à caça! :D

Letícia D. disse...

Velhooo, quer me matar do coração Luna? Chorei aqui, coisa mais linda esse post. Aff tu é muito chata menina parraaa de postar coisas fofas assim *--* ding ding ding Fiz o teste e sou Lufa Lufa também, me identifico total U.U

Aline J. Romy disse...

Fiz o teste (com 100 e poucos questões) e deu Lufa-lufa *-* Acho que combina comigo também, apesar de eu gostar mto de Sonserina. Alias, amo todas as casas! Sinto que tenho caracteristicas de todas. Adorei o post, Luna!