domingo, 24 de junho de 2012

kristen, charlize and audrey ♥

Assisti dois filmes nesses dias aí, e faço questão de comentá-los. Uma crítica grandinha, outra pequenininha.

O primeiro deles é o Branca de Neve e o Caçador com Kristen Stewart, mais conhecida por Crepúsculo (no qual encena uma deprimente adolescente com graves problemas de auto-estima) e The Runaways (em que faz uma rock star muy loca). Eu o vi no cinema, dublado (choremos pitangas aqui para minha incapacidade de decifrar duas linhas de áudio: uma com a trilha sonora e barulhos de fundos, e outra com os diálogos. Meu aparelho não faz milagre), e eu tenho algumas opiniões concretas a respeito dele.

1ª coisa: em que mundo, Senhor, Kristen é mais bonita que Charlize? Quando Charlize, em toda a sua beleza maléfica, pergunta ao Espelho a clássica pergunta de ~ quem é mais bonita que eu, ó nobre espelho ~ e o Espelho responde que é a Branca de Neve, não adianta. A dúvida se instala na sua expressão e então você se responde: em que mundo? Não que Kristen seja feia, mas bora combinar que Charlize está simplesmente impagável. Está surrealmente bela nesse filme. Não dá para comparar com a beleza de Kristen, meio brotinho demais.

Mas, né, Branca de Neve é o conto de fadas mais injusto que existe. Se vocês querem saber minha opinião, acho horrível a idéia de uma pessoa que seja tão branca quanto neve com lábios da cor do sangue. Não sei, me faz pensar em vampiros e vampiros me lembram cadáveres. Não acho a idéia muito atraente. Enfim, voltando ao filme.

2ª coisa: Kristen aprimorou seu catálogo de expressões faciais. Percebi que ela consegue sorrir um pouco mais e é realmente decente em cenas muito movimentadas de profundo desespero. Não sei o que precisaram fazer, mas ela conseguiu arregalar bastante os olhos nessa cena (na cena que ela entra na floresta pela primeira vez, por exemplo). Sou otimista e sempre acredito em aprimoramento. Ela consegue muito mais. De duas em duas expressões, uma hora ela chega a cem. Estou lá torcendo por ela.

3ª coisa: achei digna a fotografia e a direção de arte. O filme é lindo. Volta e meia eu esquecia de prestar atenção no áudio e ficava só observando os detalhes do figurino, do cenário, da maquiagem. É tudo muito lindo, muito bem cuidado. As cenas com Charlize são as que mais merecem atenção, creio eu, porque estavam um espetáculo de tanta beleza. O Espelho Mágico com todo seu dourado, é realmente muito bonito, porém:

4ª coisa: que coisa breguíssima e cafonérrima é aquele bosque encantado. Juro, parecia um filme da Barbie.

5ª coisa: quem vê, até pensa que rola conflitozinho pelo coração da Branca de Neve entre o Caçador e o Príncipe. Até que tentam um pouquinho, mas você vê o começo, já sabe com quem ela vai ficar no final.

6ª coisa: achei digno os efeitos no geral, e eu só estou lembrando dos corvos. Não quero lembrar daquela floresta brega.

7ª coisa: como feminista, achei digno que a Branca de Neve não ficou relegada à posição de princesinha submissa enquanto os machos trabalham. Ela é a líder do exército e é bem respeitada como tal. Ela está na frente, mesmo que nunca tenha mandado em nada na sua vida. Achei digno, sabe. Não que o filme seja feminista, longe disso, mas é só porque dá uma espécie de alívio quando você vê que a protagonista lidera um exército e é respeitada, sem ser colocada em um papel de objeto sexual ou algo assim. Ela nem precisa decidir sobre com quem se casar, até porque isso não é o mote do filme. O mote do filme é ela conseguir acabar com a Rainha e reassumir seu trono como é de seu direito. E ninguém perde tempo falando sobre que ela precisa se casar com o príncipe pra ser rainha. Ela é rainha, ponto.

8ª coisa: achei poético as moças com cicatrizes nos rostos para fugirem da Rainha que procurava ~ a mais bela do reino ~ matando as jovens que encontrava. Essas moças refugiadas, então, marcavam seus rostos com longas cicatrizes para que elas pudessem escapar, e assim viverem em paz. Achei profundo. Dava uma bela história se fosse mais bem desenvolvido.

9ª coisa: Charlize brilhou. Ninguém liga pro caçador, pra Kristen, pra fotografia, nada disso quando se tem Charlize fazendo a Rainha Má. O roteiro não deu espaço, ficando muito no superficial, mas ela foi lá e se esforçou para fazer uma personagem profunda com algumas nuances. Dá pra sacar que ela é assim por conta de um feitiço da mãe, e tudo o mais, e talvez venha daí sua maldade. Ela realmente foi tão bem no filme que eu chamaria ele de A Rainha Ravenna e Foda-se o Resto só para falar dela.

Em suma, dou umas duas estrelinhas e meia para o filme em cinco. Tá, eu dou três para o filme em geral e cinco para Charlize porque ela merece.

CHARLIZE SUA LINDA ♥

Esse fim de semana resolvi ser uma pessoa culta, porém. Resolvi ter cultura e classe na minha formação, e resolvi assistir o clássico A Bonequinha de Luxo. Eu me abstenho de qualquer opinião.

Eu achava que o filme falava de ~ garotas de família ~ e tal qual foi minha surpresa ao ver a chique, clássica, elegante Audrey encarnando uma garota de programa chamada Holly que é simplesmente chique, clássica e elegante. Holly virou minha ídola. Sabe aquela pessoa que acorda depois de uma ressaca fdp, que dá festas homéricas onde há atividade suspeita por baixo das saias, que saiu com 26 "ratos e super-ratos" em busca de um cara rico que a banque com classe? O filme não tem sexo, mas tem insinuações o tempo todo. O filme não tem rock'n'roll, mas pra quê? O filme não tem drogas ilícitas, só o álcool em abundância (que o diga a Audrey com os pés enfiados na pia da cozinha enquanto reclama por um uísque, sendo que já tá caindo pelos cantos de tão bêbada).

A história é basicamente sobre a relação que Holly tem com seu novo vizinho, Paul, que ~por acaso~ é sustentado pela amante dele (um garoto de programa fixo, praticamente). Acho interessante e subversivo.

Eu, particularmente, super recomendo o filme. Mas, sabe, tome aquela dose de auto-estima antes porque é muito deprimente ver Audrey. Ela é uma daquelas mulheres que nascem a cada cem anos só para fazer o mundo sentir raiva de sua beleza. Você a acha bonita só pelas fotos? Eu garanto que em vídeo, ela é mais ainda. Depois de ver esse filme, eu senti uma louca vontade de me jogar do viaduto. Mas, enfim, vamos convivendo, né. Cada qual com sua (ausência de) beleza.

Nenhum comentário: