domingo, 27 de junho de 2010

2012 é um saco.

É, o filme. Ele tem cenas 'uau!' de destruição. A Califórnia treme toda, se quebra em mil pedaços e tudo o que eu conseguia pensar era nos milhões de dólares investidos no Vale de Silício caindo terra abaixo. Quer dizer, em que mundo a GOOGLE cairia? Aí você vê a Califórnia arrasada, incluindo a Las Vegas que eu queria ir só pra aplicar um golpe a la Quebrando a Banca ou Rainman (sei lá se o nome do filme é esse). Mas parece que em 2012 isso não será possível. Além da Califórnia, Rio de Janeiro está caindo também. A América do Sul, diz a Globo News, está passando por terríveis terremotos (é, sentiremos a emoção -q) e lá vai o nosso Cristo caindo. Os braços caem primeiro, aí a estátua biiimpa. É. Apocalipse. Eu jurava que ele estava um tiquinho de lado errado, mas posso estar enganada.

Tem um pai separado e escritor fracassado, a ex-esposa cuja única função é ser mãe (porque em filme de catástrofe, mulher não costuma ter emprego? Tipo é tudo mãe ou esposa de alguém) de um garoto meio chatinho e uma garota chatinha também. Tem o cara que tá com essa ex-esposa que é um cirurgião plástico com cantadas ruinzinhas. Essa família é basicamente o núcleo principal. Claro que o pai fracassado se redimirá ao longe do filme ao provar que ele pode ser um escritor de uma catástrofe absoluta, mas ele saberá salvar sua família, ele saberá as coordenadas e tudo o mais. Ele é o herói. Mesmo que quem pilote o avião seja o padrasto e não ele. Tudo bem, ele que agirá salvando todo mundo. A redenção total. E perdão, vou soltar spoilers, então se você gosta de "surpresas", melhor nem ler, porque vou contar tudo - inclusive o final.

Claro que as crianças meio que menosprezavam o papai no começo, na cena do acampamento. Claro que estavam pouco se lixando, exceto a garotinha. Mas quando vêem que papai é herói, ponto pra ele! Afinal quem foi lá buscar o mapa das coordenadas do lugar que os ricos escaparão quando um vulcão estava explodindo? Só papai! (nessa hora, meu namorado: "se isso fosse real, o calor seria tão intenso que ele morreria só de estar ali". Eu: "cala a boca, isso é Hollywood. Vocês acham que eles ligam pra lógica?") Aí eles vão pra algum lugar, nem lembro direito, só lembro que a terra meio que ficou em diagonal em relação ao mar e que eles acham um cara rico (que era tipo um cliente/um chefe do escritor fracassado) e ele tem um avião, mas precisa de um co-piloto. Bingo! As duas famílias (cara, dois garotos, piloto gato, namorada do cara sem profissão) se juntam pra entrar em um avião russo que tem um monte de carros caros dentro, e eles ficam lá, no avião, podendo descansar um pouquinho. Dá pra ficar sabendo que a namorada, Tamara, do cara rico colocou silicones a pedido do namorado, o que já dá pra ver o nível da relação que eles mantém. E que o piloto é gato demais para ela ter ficado sem ele.

Aí ele consegue até pousar, mas se dá mal. Todo mundo consegue escapar, mas o piloto morre. Uma pena.

Já estão na China. Sim, estavam indo para uma espécie de espaçonave que viajaria para algum lugar seguro, mas para embarcar nessa beleza, você teria que ter um bilhão de dólares. Pra pagar a SUA passagem. Ficamos eu e meu namorado verificando quem poderia embarcar. Concluímos que não preencheria as 400.000 vagas. Óbvio que tem gente ali que só entrou por ser líder de estado ou algo assim. Tipo presidentes. O presidente dos EUA não embarca, decide morrer enquanto os EUA afundam. O chefe de estado italiano também. O resto tudo embarcou. O cara rico conseguiu bancar o próprio resgate e os dois filhos. Mas a namorada? Nada disso, ela é adúltera e traidora, não poderia ir. Então ela simplesmente fica e o cachorrinho dela vai com as crianças. E a família americana que vivia bem, mas não o suficiente para pagar umas vagas nessa espaçonave, tem que se virar. Mas a sorte ajuda e, cara, essa história tá ficando chata de dar dó.

O negócio é que eles conseguem chegar na espaçonave. Obviamente acontece algum problema (provocado por eles) que faz com que uma onda fatal atinja e os portões ainda não estão fechados. Eles só podem se mover e tudo o mais com portões fechados. Ou seja enquanto eles não fecham os portões, eles se fodem. O que me faz pensar que um sistema de segurança, para ser realmente seguro, só pode ter uma forma de ser desativado. Mas para ele não ferrar com todo o sistema, então é sempre bom ter uma maneira alternativa. E alguns compartimentos se fecharam por segurança, se enchendo de água.

Por motivos que não consegui entender, todo mundo na família se safou. Menos a loira adúltera que teve a pior morte: morreu afogada. Quer dizer, o padrasto caiu no meio daqueles troços que esmagam uma pessoa, mas com alguma sorte sua morte foi rápida, seu cérebro deve ter sido esmagado fácil. Porque a sua única funcionalidade era ser o padrasto bobo-legal que sabia pilotar. Para o romance dar certo, ele tinha que morrer. E a loira morreu também, afogada, observada por uma girafa. Fiquei revoltada, era a única personagem que eu gostava. Aí todo mundo feliz se dirige pra África.

Em resumo gostei só das cenas bem feitas e do destaque dado aos negros. Mas de resto? Pff. O pior é que se rolar mesmo fim do mundo e a coisa toda, é capaz de fazerem isso. Os EUA, Rússia e China se juntaram para salvar os ricos e influentes. Nada de latinos. Nada de árabes. Vamos salvar os negros, para não nos chamarem de politicamente incorretos. Mas o resto? Quem quer saber deles? E, sinceramente, tudo o que eu pensava era: se a intenção era povoar de novo o planeta, encham de mulheres. De preferência prostitutas que sejam pagas e respeitadas. E coloquem um monte de crianças. Não líderes mundiais. Mas, sei lá, tenho pensamentos bem mesquinhos em relação à salvação da humanidade.

Um filme que assisti e curti. Ah, mas deu preguiça de pensar nele depois.

E que sacanagem! 1 bilhão pra ser salvo? Isso supera qualquer caso de exclusão social que eu já tenha ouvido falar.


é, baby. os EUA desmoronando -Q


Sim, esse é o novo template.
Ainda ajeitarei as coisas fora de ordem, só peço paciência ;*

6 comentários:

Beta Matsuoka disse...

Só li os primeiros parágrafos por causa dos spoilers, hueheuehuah. Ainda não juntei interesse suficiente para assistir esse filme. Geralmente não gosto de películas cheias de efeitos e tal, acho chato demais. Gosto mesmo é de filme simples, sem nada além do necessário, por vezes, toscão. Mas quem sabe um dia eu não o assista em bluray em uma TV 3D só para ver o Cristo se arrebentar todinho... aí sim! ANARQUIA! XD

Adorei o template e seu slogan (mais dele do que do layout), hehauehuaha ^^

Tenha uma ótima semana, Luna! ^^

Aline J. Romy disse...

Só hoje que vim ver o novo layout, e ficou divino *-* Adorei!
Tbm não li todo post, coisa rara, prq eu sempre leio os seus posts até o fim, mas não tive coragem de assistir 2012 ainda, sei lá, na hora de alugar sempre acabo escolhendo outro filme --'
Luna, você curte a Jane Austen? Já assistiu Lost in Austen ou algum dos filmes baseado nos livros dela, ou já leu algum livro? É que gosto bastante dessa escritora e queria ver um post seu sobre ela, se possível :D
beijos ;*

Umrae disse...

Nem vi, e provavelmente nem vou ver tão cedo. Não curto o gênero.
Mas esse parece bem forçado mesmo.
Bjos

Cris Cavaletti disse...

Adorei o template novo *-*
(E 2012 é muito chato mesmo.Fui vê-lo com meu namorado nos cinemas na maior expectativa e quando comecei a assistir,quanto mais via,mais ficava decepcionada.)

Felipe disse...

Nunca assisti esse filme, mas tenho vontade de vê-lo. Talvez eu tenha uma opinião diferente da sua.

Gostei do seu novo layout, simples e legal. E com a imagem com as frases, o slogan, ficou show.

Mah disse...

adorei o template novo,ja tinha visto antes mas esqueci de comentar.Acho bobagem dizer q o mundo vai acabar em 2012 só por causa de um filme