terça-feira, 27 de abril de 2010

vamos fazer cosplay de hermione e harry (L)



Finalmente vou fazer esse post que a Chris pediu faz séculos. Ela pediu que eu falasse sobre o fanatismo acerca de Harry Potter. Aparentemente pediu esse tema depois de ler meus posts raivosos contra Twilight e toda a histeria em volta, e em compensação, sou uma fã alucinada por Harry Potter. Achei até uma injustiça, só tenho 5 posts dedicados ao Twilight (e todos eles obviamente haters) e Harry Potter nem tem uma tag só para ele, coitado. Devo estar com um complexo de hater, sabe quando a pessoa começa a odiar algo a ponto de gostar e viver pra isso? Exatamente.

Não importa. Inaugurarei a tag "Harry Potter" nesse cardápio aí hoje. Nada melhor que começar direito: sobre o que trata Harry Potter, porque eu amo a série, porque ela fez tanto sucesso e, o mais importante, porque quando as pessoas quando viram fãs, ficam burras - seja em relação a Harry Potter, seja em relação a Twilight, Miley Cyrus, Capricho, Death Note, absolutamente qualquer coisa. Quando deixa a emoção tomar conta, você vira um ser irracional, totalmente sem razão. Está armado até os dentes de pura besteirada, zero de argumentos, mal consegue defender o que ama sem atacar quem se opõe. E muitos fãs de Harry Potter são assim, convenhamos.

Eu, como fã plus de Harry Potter desde meus tenros oito anos de idade, apresento argumentos mega-usados pelos fãs. E os derrubo: são argumentos que podem ser contestados facilmente por qualquer pessoa que entende um pouco de literatura, porém como a maioria desses argumentos são lançados para pessoas que acham que Twilight vende mais que Harry Potter, então quase nunca são quebrados (desculpe a provocação, mas não pensei em exemplo melhor). Primeiro é a afirmação de que Joanne Kathleen Rowling é super mega original. Tudo bem, não vamos contestar que realmente uma série como Harry Potter não pode ser criada em cinco minutos, muito menos elaborada de qualquer jeito. A construção das regras, a estrutura do mundo bruxo, todas as maneiras que Rowling encontrou de escrever sete livros sobre um universo que inspira, facilmente, pelo menos cem livros... tudo isso é fantástico. Mas dizer que Rowling foi original... nem tanto.

Para começar, o herói tipicamente magro, de óculos e feiticeiro é comum na literatura ficcional, a comprovar pelo Livros da Magia do divo Neil Gaiman (se puderem, confiram Coraline. E, principalmente, todos os livros dele da série Sandman). Livros da Magia trata, basicamente, de um garoto inglês que pode ser o maior mago do mundo e tipo o seu corte de cabelo é semelhante, os seus óculos idem. Talvez seja falta de imaginação (ou homenagem ou plágio) do ilustrador, porque os dois personagens realmente se parecem. Mas Neil Gaiman disse que "o arquétipo do jovem feiticeiro tem vários outros precedentes na literatura". Ou seja, nem ele, nem Rowling eram exatamente originais e inovadores ao criar as obras envolvendo órfãos ingleses e feiticeiros. A originalidade é um conceito que pode ser bem subjetivo e muitos fãs ignoram isso, e não somente os de Harry Potter. Rowling criou um mundo, sim, porém não foi nada do zero. Rowling não criou os centauros, nem os basiliscos, nem a idéia de uma escola para bruxos, e muito menos o arquétipo do velho sábio de barba branca (desconfio que Dumbledore seja uma versão mais bem humorada do Gandalf, de Senhor dos Anéis. Mas nada supera o fato de que Gandalf fuma aquela erva lá... moço, aquilo me parece total maconha, mas não falo nada, porque também tem fã de Senhor dos Anéis que enche o saco rs)

Acho que os fãs concordarão comigo nesse aspecto. A originalidade é um dom de Rowling, mas dizer que toda sua obra é inquestionavelmente 100% original é, de certa forma, negar suas bases. Porééém desconsiderando toda a extensa base e os pequenos elementos que construíram todo o universo Harry Potter, dá para dizer que ela é original sim. O que é mais cômico é ver isso na boca (ou nos dedos) de quem é contra, defendendo que se Rowling criou bruxos "bons", os outros também podem mudar como bem entender a mitologia. Eu sempre me pergunto o que essas pessoas leram na infância. Nada de qualquer livro sobre "A Bruxinha Que Era Boa" da Maria Clara Machado? Eles realmente só viveram os contos de fadas, que as bruxas são sempre más, cruéis e perversas? Aí quando surge Harry Potter, as pessoas realmente acham que foi uma bela inovação, afinal bruxos só eram ruins? Ou eu fui a única pessoa do mundo a ler livros infantis de autoras que tentaram desestigmatizar as bruxas?

E o fanatismo mais claro em torno de Harry Potter não é o fanatismo tipicamente fã, como cosplayers ou pessoas que participam de quinhentas comunidades só de HP, e se dão o nome de 'Malfoy', 'Potter', 'Watson', 'Weasley' ou mesmo 'Abbot' achando que ninguém vai associar a HP. Fãs que vivem em comunidades debatendo sobre as milhares de teorias a respeito de Voldemort e sua falta de amor é normal, assim como também é normal fãs se vestirem a lá Hogwarts e irem ao cinema. Se fomos criticá-los, vamos criticar também os cosplayers de animes que dedicam seu tempo, dinheiro e paciência para montar looks elaborados, concorrerem aos concursos em feiras de animes e tirar fotos mesmo quando muita gente acha isso perda de tempo. Acho que nesse campo ninguém deve criticar o modo como as pessoas se vestem, muito menos se for por motivos tão idiotas como travestir-se de algum personagem de livro ou filme.

Porém... os fãs que só viram os filmes e se tornaram loucos são indigestos até mesmo para os próprios fãs, os mais tranquilos. Toda obra tem uma legião de fãs, e toda legião sempre tem uma dúzia de gatos pingados que envergonham todo o grupo. Para começar, eles nunca se dão ao trabalho de ler os livros, portanto desconhecem a história a fundo - e sem querer dar uma de intelectual, mas já sendo, ler os livros que inspiram um filme ou uma série é importante, porque na adaptação, perde-se muitas nuances e muitas coisas ficam sem sentido ou com um sentido totalmente diferente. O exemplo mais claro, óbvio e ensurdecedor é o relacionamento entre Harry e Hermione. Praticamente todas as pessoas que leram o primeiro livro já adivinham que Hermione é o par de Rony e Harry fica com outra. Porém nos filmes não esse sentido, nem de longe. O relacionamento entre Harry-Hermione é simplesmente amizade, mas a Warner pintou de suspeitas amorosas e com isso, claro, pessoas que nunca leram os livros, mas viram os filmes vão delirar, se apaixonar e enlouquecer por um romance que não existe, criando hipóteses para comprovar a existência do amor entre os dois (que envolvem hipogrifos e abobóras, não me perguntem como). E por mais que você diga que nos livros não tem, a pessoa vai dizer que viu toooodos os filmes antes de você, e portanto ela tem razão e Hermione vai ficar com Harry no final. Mas deixa. Incomodar-se pra quê? Vale a pena? Não.

Os fãs de Harry Potter tem um grave defeito, mesmo os que não são lá fanáticos: eles não conseguem compreender como alguém pode não gostar de HP. Afinal, na cabecinha deles - na nossa - Harry Potter é algo que você ama. Não tem como não fazer isso. É uma série estupenda, original, de mensagens embutidas que dizem que ricos não devem explorar, nem humilhar os pobres, humanos não devem explorar outras pessoas só porque elas são trouxas ou não são humanas, que as mulheres são iguais aos homens e cantadas grosseiras são grosseiras e que o amor é a arma mais poderosa. Além disso nos ensina a lidar com a morte dos queridos, com viver numa guerra, com preconceito, humilhação, sarcasmo, bullying e desilusões amorosas! Como alguém pode odiar um livro desses? Como alguém pode sequer cogitar a hipótese de que Harry Potter é algo, assim, odiado por alguns? É como um cristão em relação aos ateus. Ele pode aceitar. Respeitar. Até entender um pouco, assim, superficialmente. Mas compreender profundamente? Jamais. Nós não compreendemos como alguém pode odiar Harry Potter assim como pessoas crentes não conseguem entender como pessoas podem não acreditar em Deus.

E isso é um problema. Ao fazer isso - essa negação estupenda - acabamos nos fechando para argumentos críticos em relação à obra e perdendo a noção do respeito às diferenças de gosto. Sempre teremos aquela coisa de "é uma pessoa tão legal... pena que odeia HP", o que é uma coisa bem detestável. Acabamos, inclusive, tornando o que nós odiamos dentro do universo HP: a cegueira, o fanatismo por uma causa. Pessoas podem não gostar de Harry Potter por 'n' motivos. Podem até odiar. Elas não estão perdendo nada, porque Harry Potter não é a Bíblia moral delas. Essas pessoas tem histórias, personalidades, todo um contexto diferente. Tudo bem que a maioria dos argumentos anti-HP acaba sendo do lado "demoníaco" e isso acaba invalidando a causa. Também há aquelas pessoas que só sabem falar "que é uma bosta um bruxinho mimado e tal", mas esse tipo de gente - que mal sabe apresentar um argumento coerente - nem é levado a sério. Mas mesmo assim. Harry Potter não é uma obra a prova de críticas, erros e falhas. Joanne Rowling é uma ótima escritora, sabe usar as palavras com maestria, mas ela não é perfeita, ela falha, reconhece que errou, ela é humana e nem sempre ela vai escrever livros bons. Todo mundo erra. Até Stephen King arrepende-se de alguns dos seus livros (um dos livros mais vendidos de Stephen King, Carrie, vendeu horrores e foi o que fez com que ele alcançasse a fama. O detalhe é que King o achou uma merda absoluta e jogou no lixo, onde foi resgatado pela esposa e lido - e aí ser vendido).

Sejamos fãs até de Calypso. Mas sejamos sempre críticos, tentando não deixar que a emoção interfira na nossa razão. Deixar que os nossos sentimentos pessoas controlem nosso juízo é um perigo quando se trata de avaliação crítica, e isso é algo que muitos fãs de HP acabam permitindo.

P.S.: a respeito da suposta rivalidade entre fãs de Harry Potter e de Twilight (que existe mesmo, mas não é taaanto assim)... as pessoas adoram falar que os fãs de Harry Potter odeiam Twilight só por causa disso e se tornaram fanáticos e passaram a endeusar HP criticando Twilight. Vamos lá, eu os convido a perguntar: vocês adoram uma obra que consideram linda e maravilhosa. Toda vez que algo minimamente parecido com essa obra (nem que seja só no gênero), as pessoas chamam de 'o novo Harry Potter'. Aí chega Twilight que fez mais barulho ainda. Aí os fãs de Harry Potter lêem e ficam: 'oh-my-GOD!'. Gente, nós nos sentimos ofendidos com a comparação! Comparação é sempre válida, faz com que a gente reveja pontos positivos e negativos. Mas Twilight é algo... acho que nenhum fã de fantasia estilo Harry Potter, Nárnia ou Senhor dos Anéis realmente conseguiu engolir. Quer dizer, aqueles fãs mais puristas que acham algumas características como construção exemplar de personagens secundários extremamente importantes. E ainda vem os fãs dizerem que é porque "estamos com medo", "porque Twilight vai ultrapassar HP", "porque HP perdeu seu posto de Queridinhos da América". Não estamos com medo. Harry Potter foi um fenômeno assustador, estilo todo filme quebra a bilheteria, todo lançamento de livro envolve uma operação militar da CIA, FBI e KGB para que ninguém morra, ou pior, roubem um exemplar antes da hora. E um livro conseguir algo dessa magnitude é algo realmente difícil, e não é Twilight que vai alcançar esse nível, nem mesmo com os filmes. É meio difícil sentir medo de um fenômeno desses (mas sentimos medo de algumas fãs sim, aquelas que falam que querem dar pro Edward Cullen. Eu me pergunto se faz muito mal pra cabeça se apaixonar tão perdidamente por um personagem literário, mas não sou eu que vou me intrometer em amores platônicos). Mas o que nós sentimos é indignação e também porque encheu o saco a mídia ficar propagando a toda hora algo como "o novo Harry Potter" mesmo quando não tem nada a ver. A melhor parte é quando as pessoas vêem as semelhanças (imagina, Percy Jackson é extraordinariamente parecido com Harry Potter, né? E, claro, Capricho, Jacob é a xerox de Rony e Hermione!) Isso enche o saco, cara.

Já basta as pessoas mais fanáticas pelo dogma de 'só-literatura-clássica-é-boa', seja ela Machado de Assis, seja Tolkien: acham a gente um bando de desneurados, adolescentes fúteis e apaixonados por um "bruxinho". Do outro lado somos os fanáticos arrogantes, metidos que acham que pra gostar de Harry Potter, é preciso odiar Twilight. Ah, basta.

Fanatismo é ruim, qualquer que seja a fonte. E erros vem de todos os lados. Eu me mantenho fora disso. Achar que vem cartinha de Hogwarts pra mim, aos 11 anos, é coisa de criança e já ultrapassamos esse estágio faz tempo, pessoas :)



Fiz na pressa. Estou fazendo tudo na pressa.
E logo -em 30 dias- terei o meu título de eleitor na mão e serei uma cidadã completa -n que poderei votar! Alegria, alegria :D

7 comentários:

Umrae disse...

"mas sentimos medo de algumas fãs sim, aquelas que falam que querem dar pro Edward Cullen"
No tempo em que eu jogava Gaia, vi algumas centenas de meninas que queriam dar para o Draco Malfoy (mais que para o Harry Potter, surpreendentemente). Não tenho nada contra Harry Potter, até acho legalzinho e tal, e acho Twilight uma porcaria, mas o fanatismo irritante é comum e muito similar em ambos os casos (tem os fãs comuns, mais contidos, em ambos os casos também). Os dois tipos de fãs-às-últimas-consequências acham que a respectiva escritora é a melhor do mundo, que só aquilo é literatura de verdade, que os personagens são os mais bem construídos, que tudo é absolutamente original e blá, blá, blá. Enche a paciência.

Ah, e antes do Gandalf, teve o Merlin, ele não pode ser esquecido.
Bjos

Carol Winchester disse...

BOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOA, adorei o post, primeiro de tudo porque falou de HP *-* ♥ ♥ ♥, e também porque você falou de vários pontos de HP que os haters cismam em reclamar, como a Tia Jô e a originalidade, os bruxos bons... e ainda disse dos "fãs" que não leram os livros (sério, pra mim isso se chama Poser. Começa a passar o trailer do filme na televião e aparece um montão de gente "OMG EU AMO HP S2S2S2" mas um mês depois do filme esquecem até o nome do vilão --'), e as pessoas tentando comparar Crepúsculo com HP, meu, não entendem que não tem comparação. Crepúsculo nunca terá um dinossauro em sua homenagem, como Harry Potter tem. q

Trashy Fame disse...

muito lindo o blog, amei *-* estou seguindo
se der dá uma passadinha lá no meu : www.thetrashyfame.blogspot.com

Bill Falcão disse...

Caraca! E você ainda diz que fez este post às pressas! Achei tudo muito bem definido, interpretado. Quem tinha alguma dúvida, tirou todas agora. Li também os posts abaixo, onde dá pra se ver que você é uma blogueira de primeira!
Bjooo!!

Aline J. Romy disse...

Adorei o post *-* Amo Harry Potter e acho que não precisa odiar twilight pra ser fã de HP! Eu até gostava de Twilight quando não tinha virado essa modinha insportavel de Robert nas capas das revistas todo mês! Isso me irrita, as fãs ao extremo me irrita! Odeio a modinha, não odeio a obra!
Amei o post, mesmo *-*

Cris Cavaletti disse...

Vou dizer como já viveu os dois lados da moeda: todos gostavam mais de Crepúsculo antes dessa moda,que é hoje.Falando sério,a história é muito boa,o Edward é príncipe encantado dos tempos atuais,tem personagens cativantes...Eu era muito fã de Twi quando li os livros,na época a comunidade tinha 11 mil membros(ZERO POSERS,dica) e eu admito que sou parte da velha guarda daquela comunidade que abandonou o recinto quando mil pessoas entraram lá para idolatrar o tanquinho perfeito do Taylor Lautner (que é perfeito mesmo) e não a história,o jeito como o amor da Bella e do Edward se desenvolvia,esse tipo de coisa.
Eu,sinceramente,não me lembro de HP antes de ser modinha,porque quando li o primeiro livro tinha oito anos e quando o primeiro HP foi lançado na Inglaterra,eu não tinha idade nem para comer Kinder Ovo.
Tenho 15,hoje em dia e digo com tranquilidade: Harry Potter é a razão para eu escrever e ler tanto.Chorei horrores com a morte do Dumby,mesmo já tendo lido Half-Blood Prince umas cinquenta vezes antes do filme.Sou MUITO FÃ DO SIRIUS BLACK e toda vez que vejo Simplesmente Amor,grito quando o Alan Rickmann aparece,porque pra mim ele vai ser eternamente o Snape *-*

Ariel L. disse...

Até meu aniver de 11 anos eu esperei uma carta, e chorei muito quando ela não chegou kkkkkkkkkkkkkk