domingo, 4 de abril de 2010

ah, betina, se manca, ok

Páscoa de ateu significa nada de comemoração e só por tradição chocolate. Não dei ovo pra ninguém - minha mãe deve ter comprado pros meus primos, ora - mas recebi uma barra de chocolate que acho mais gostoso e mais barato. Simbologia por simbologia, já tive quando criança e isso me basta.

Basicamente é chocolate, é internet, é um almoço legal, porque toda ocasião, minha mãe gosta de fazer panquecas ou algo diferente nos domingos - dia da mãe, do pai, páscoa, natal, etc, etc. Aí eu fico assistindo à novela das oito quando não tem nada pra fazer. Já acabou Alma Gêmea que eu assistia viciadona, mesmo que odiasse 80% dos personagens, e agora faço o possível pra evitar a atual novelinha da tarde, é capaz de me viciar de novo pela trama da Sinhá Moça, mesmo que seja chatinha. O mesmo lance faço com a novela das seis (apesar de adorar o cabelo da Débora e achar Paola Oliveira, como sempre, muito gata. E o cabelo da Camila Pitanga estava um arraso, hm) e com a das sete (que não tem legenda closed captions, depois falam de inclusão dos deficientes). Mas a novela das oito tem legenda, e eu gosto de assistir pra, tipo, encerrar meu dia fazendo algo que não preciso pensar.


o que a maquiagem, photoshop, comida no estômago e abstenção de bebidas alcoólica não faz...

A atual novela das 8, Viver a Vida, é escrita por Manoel Carlos. Já falei um pouco dela aqui. Ingrid tá mais legal, mas continua uma anta debilóide que só sabe falar mal de todas as namoradas que seus filhos arrumam. É, né. Lista!
• Renatinha, uma porra louca bêbada de 30kg.
• Luciana, uma chata quando andava, um amor de pessoa quando sua medula fica fraturada. Como se o santo de coisas legais baixasse nela no momento do acidente.
• Mirna, a prostituta de classe alta, super chique, que fala bem, mas mesmo assim é uma garota de programa.

E sempre, sempre Ingrid fica mirando em Suzane e Paixão, duas garotas chatinhas e ricas. E agora Jorge está gostando de Ariane, menina legal, mas toda certinha. Tô vendo com meus instintos de noveleira que isso não vai dar certo, até porque estou apostando que Manoel Carlos vai ativar seu amor por assassinar mulheres legais e a pobre médica mãe viúva loira e legal Ariane vai ser a sua vítima. Espero que não esteja errada, essa novela anda a passos da tartaruga. Não, uma tartaruga anda mais rápido.

Eu sempre fico me perguntando algumas coisas toda vez que assisto essa maldita novela, tipo

porque ele só fala de gente rica?

Afinal a criatura mais pobre dessa novela é o núcleo Dora - sua tia - o marido chato de sua tia - Soraia (bitch ou só uma garota decidida que quer sobreviver fora de casa?) - irmão legal de Soraia. E, claro, aquela criança uó que se acha a rainha da cocada preta, a tal da Rafaela. Aquela pirralha tem que saber onde fica o lugar dela, e Dora ensina isso muito mal. E sendo a criatura mais pobre da novela, ainda é uma pessoa com grana suficiente pra comprar biquini ao menor pedido da filha. Tô vendo, pobreza é isso aí pra Manoel Carlos. Na boa, Manoel Carlos? O pessoal de sua novelinha é um saco.

Os ricos são tão ricos que enjoa, cara. A Teresa (pra quem não sabe, amor, quem faz a Lilia Cabral. Lembra da mulher que depreciava crianças com Síndrome de Down na frente de uma Regina Duarte assustada em Páginas da Vida? ela mesma!) vai pra Paris. A Helena (Taís Araújo) vai pra Jordânia. E viajar pelo Brasil que é bom, nada. Afinal o que temos aqui? Colônias italianas no sul, hotéis na Amazônia, praias nordestinas divas, nada de interessante. Porque só o exterior que interessa para as novelas. Além disso tem toda aquela besteirada de vinhos, festas caras, compras em shopping center, roupas de grife, hospitais particulares que os médicos podem dispensar trinta minutos pra olhar pra você, e filas não existem, claro. Depois ele fala que as novelas retratam a realidade. Talvez a realidade de uma elite. Uma elite das elites.

Eu não me incomodo muito de não me ver representada ali, sabe, na telinha. Mas me incomoda ver uma novela que só glorifica a classe mais alta, ver que só os ricos são legais, lindos e maravilhosos, enquanto a pobreza é basicamente falsa. Afinal sem considerar Dora, tem a Sandrinha e o marido canalha dela. A violência. Porque nessa novela pobreza = violência na favela. Os cheios de classe são os ricos. Ou será que tô viajando na maionese? É perseguição minha? Posso imaginar o que eu posso fazer com o meu problema de pseudo-analisar novelas das oito. Novelas das oito não tem que ocuparem a cabeça do espectador com dúvidas e reflexões. É só pra divertir.

Problema é que não consigo me divertir mais assistindo porque a exaltação da riqueza já supera qualquer fronteira de bom senso, os microvestidos da repórter de economia estão cada vez mais curtos, e tudo anda muito chato. Por favor, sem querer te ofender, sr. Manoel Carlos, termine logo sua novelinha, libere logo esses atores que estão desempenhando papéis uó, e venha Silvio de Abreu. Estou pronta pra assistir uma novela com muitas armações milaborantes, vilões e mocinhos bem definidos (ou não), golpes de baú, gente roubando a própria família por vingança, caras lindos de morrer (minha mãe lembra) e tudo o que uma boa novela feita pra tirar toda a massa cinzenta racional do cérebro. Porque pra pensar temos os livros, sites, jornais. Novela só não pode passar mau exemplo. O resto tudo é permitido.

Post Subscrito, rs:
Mas novela só passa mau exemplo, francamente. Se esse idiota e babaca do Marcos não terminar a novela todo fodido, eu nunca perdoarei o escritor. Porque ele é calhorda, machista e arrogante. E ainda se acha cheio de charme. Charme, meu filho, que tem é Johnny Depp. Isso sim é puro charme. E se o cara acha que a idade é duro, tudo bem, apresento George Clooney. Hm, não falo nada. E eu seeei que José Mayer (é esse o nome dele?) é diferente do personagem!


rs

Helena demorou pra cair na real. Heroína fraca. Taís Araújo, eu era mais fã de você na época de Alicia. Mas te entendo, afinal interpretar uma "artista" porra louca é diferente de interpretar uma modelo enjoada. Mia, você é outra chata. Se melindra só de Isabel citar a sua endeusada virgindade e você é tão boa que enjoa. Gente boa demais não dura muito nesse mundo, querida, porque todo mundo passa pra trás. Inclusive a sua irmãzinha Isabel. Aliás, você só sabe concordar com sua mãe e ficar rindo. Manoel Carlos, dá um sal nessa menina, por favor. Deixe-me ver... alguém dá Simancol pra a pirralha de nome Rafaela. Ela consegue ser mais mimada do que uma certa criança (e não, não é nenhum primo meu) e isso não é pouca coisa. Se ela estivesse aqui em casa, rapaz, ia ver o que é bom pra tosse e eu não ia nem precisar dar uma palmada. Aquela que foi viver na favela é uma anta. Sandrinha, pega logo a maldita arma, pega seu filho e se manda pra Búzios. Depois você morre e aí quero ver.

Betina é alguém que nem deveria existir. Vá trabalhar, estudar, viver. Minha filha, Carlos só tá te enganando. Ele é um cara que tinha mais charme quando fazia o gay em Paraíso Tropical com o par masculino e lindo-de-morrer lá do que contigo, entendeu? Essa enrola toda só prejudica, querida, não ajuda. Vá viver e para de encher os ouvidos da chata da Ingrid com seus pseudo-problemas.

A atuação de Mateus Solano interpretando os gêmeos só arranca elogios (espero que tu esteja recebendo salário em dobro, hein? Trabalhar 88h é foda!), e tá todo mundo esperando pela próxima novelinha. Porque, sabem, novela só tem graça quando ela não tem pretensão de falar da nossa vida, e sim, de contar histórias sobre outras pessoas.


a sem sal e a com tanto sal que enche o saco.

E pra quem se perguntou o porquê do título, é porque eu tenho mania de conversar com os personagens quando estou assistindo TV. Se eu escrevesse a novela, juro, ela terminaria em 2 meses de tão simples que eu resolveria todos os conflitos, porque francamente, gente chata tem mais é que se mancar e é inútil enrolar por anos uma situação que ninguém quer ver só pra ver audiência.

Ouvi dizer que a final da BBB só obteve 40 pontos de audiência, apesar dos recordes de votos. E vi que o MP tá jogando o negócio da indenização pela declaração burra sobre 'gays não pegam AIDS' do BBB em cima da Globo e de Dourado, haha. Não vai dar em nada, mas eu só faço rir. Espero que envergonhe, envergonhe bastante. Nem vejo a Máfia defendendo rs

Pergunta, quem souber responder com certeza absoluta, eu vou citar em um post!
Porque as famílias ricas de marido + mulher + talvez um filho tem mania de comprarem uma casa absolutamente enorme, com mais de vinte quartos e gastarem uma cachoeira de dinheiro para manter todos esses quartos limpos, pagando a não sei quantos empregados? Porque o povo compra casas enormes pra famílias tão pequenas? @__@

7 comentários:

Gabriela Awbooc disse...

Cara, eu nem assisto a novela, mas de uma coisa eu comento: MARCOS É UM FAIL. Na verdade, é o ator que faz o marido de todas as Helenas do gordo véio. Porque aquele cara, na real,me lembra o protagonista de um filme bem famoso, sim, mas não é 'Chocolate', 'Don Juan de Marco' ou 'Amor Sem Escalas'. É 'Planeta dos Macacos'.

Umrae disse...

Erm... Na verdade, novelas do Manoel Carlos não mostram os ricos como sendo bons, cheios de classe, etc. Os mostra como se fossem todos uns fúteis, vagais (as esposas são todas dondocas, quando trabalham, é em algo que gere meramente distração, não rentabilidade, e os jovens mal assistem aula, você nunca vê um fazendo estágio ou rachando de estudar), que maltratam subordinados e dão em cima das secretárias, adúlteros, consumistas, etc. Aí dá aquela idéia idiota à população de que se você nasceu em uma família com boa situação financeira e pôde estudar em boas escolas, você é a causa dos males do mundo e não tem nenhum mérito na vida. Seus pais não enriqueceram estudando muito, sendo promovidos pos conhecimento e competência, fazendo economia, administrando bem o dinheiro, eles devem ter feito isso ilicitamente, porque é o que os ricos das novelas fazem. Você deve ser um vagalzinho que não faz outra coisa da vida a não ser ir para baladas, encher a cara (ou se drogar) e comprar roupas caras (não pode ser alguém que estuda, trabalha, dedica parte do seu tempo a ajudar os outros, não utiliza qualquer tipo de substância alucinógena ou estimulante, etc).
Este ano eu escutei de um colega de classe que é PM: "É porque esse pessoal riquinho não quer nada com nada mesmo, é tudo marginalzinho em potencial". Na hora em que ele se mancou de quão p... da vida eu estava, só pela cara que eu fiz, teve a pachorra de querer consertar: "Só você que é exceção". AHHHHHH TÁ! E todos os meus colegas e amigos de colégio e de faculdade que se tornaram pessoas decentes na vida (e que eu calculo, seguramente, que tenham sido mais de 2/3 das pessoas de situação similar que conheci) também são exceção, mesmo não sendo minoria? Deu uma vontade de responder para ele: é, assim como todos os policiais são corruptos e despreparados, né? (aliás, outra generalização ridícula que toda novela insiste em mostrar, porque realmente é uma bela coisa desmoralizar completamente a polícia perante a população)

Umrae disse...

E Luna, não são todas as famílias com dinheiro que compram casas enormes, especialmente após a especulação imobiliária absurda que nosso país enfrentou um pouco antes da crise. Só as que tem muito, muito dinheiro mesmo (e que portanto já perderam um pouco da criatividade do que fazer com ele) é que fazem isso. As poucas que conheço que fazem isso (não com 20 quartos, mas com 6, 7 para três pessoas), têm razões diferentes (mas, como eu disse, muito dinheiro e pouco tempo e idéias para gastar). Umas fazem porque as pessoas não se dão tão bem e dão mais valor à privacidade do que a conviver (então cada um tem seu quarto, seu escritório, sua salinha para um hobby como música, pintura, etc). Outras o fazem exatamente pelo contrário: porque têm filhos crescidos com família morando em outras cidades, e têm esperanças de receber muitas visitas, por isso preocupam-se em que eles tenham boas acomodações quando vierem. Há uns raríssimos casos de quem o faça por pura ostentação. Há também aqueles que o fazem porque é o que o senso comum espera que façam, e eles se sentem desconfortáveis de contrariar as expectativas. Como eu disse, isso é cada vez mais raro. O que eu vejo hoje em dia é o oposto: casais cujos filhos crescem e vão embora de casa vendendo os apartamentos grandes e comprando menores, mais fáceis de cuidar, com IPTU menor. Assim, a sobra do dinheiro pode servir tanto para ajudar os filhos no começo do casamento quando para fazer viagens, abrir um novo negócio (é, ou você acha que é fácil para quem se aposenta depois de 35 anos trabalhando de repente não fazer parte da população economicamente ativa?), estudar alguma coisa por prazer, etc.
Os novos prédios de alto padrão já não tem vindo com apartamentos tão grandes, eles estão reduzindo a metragem e priorizando opções de áreas úteis comuns (por isso, aqui em São Paulo, um prédio de alto padrão que antes ra construído com um apartamento de no mínimo 200m², hoje é construído em média com 120m², mas o prédio tem 2 salões de festas, salão gourmet, pista de corrida, piscina, brinquedoteca, quadra poliesportiva, playground, academia e mais o que eles conseguirem inventar, o que eu acho péssimo, porque não são todos que têm tempo de usar e encarece demais o condomínio. Dá a impressão de coisa feita para aposentados aproveitarem).

Umrae disse...

Na minha família, cada um é de uma religião (ou nenhuma), alguns, como eu e meu pai, são agnósticos, meu noivo é ateu, minha tia avó (a que me criou, a mais séria) é espírita, minha avó é católica não praticante, não tenho idéia de qual religião siga a minha outra tia-avó (a mais intelectual, encrenqueira e fanfarrona). Com meus tios, a mesma coisa: tem esotéricos (minha tia, que a gente zoa que é meio bruxa, e ela é mesmo, depois conto as histórias bizarras e sem explicação lógica), católicos carolas, católicos praticantes porém não carolas, não praticantes, outros espíritas, um evangélico, etc. Mesmo assim, o povo todo se respeita. Almoço de Páscoa aqui em casa se faz mais pela farra do que por religião. Meus tios geralmente não vêm porque passam com os sogros (a maioria viaja para o interior, onde eles moram), então sobramos nós.
Como eu disse, minha avó era uma criança terrível de levada (e também não é uma pessoa que prima muito pelo raciocínio rápido), então qualquer coisa era desculpa para fazer besteira. Os professoras dela diziam que a Isabel (a tia-avó séria), na escola, merecia uma coroa de ouro, e que ela não merecia nem uma de papelão.
O lance do "vagabundo segundo FHC" remete à época da reforma previdenciária, quando o Fernando Henrique disse que quem se aposentava cedo era vagabundo (se bem que meu pai está com quase 62 anos e já cumpriu bem mais que o tempo de contribuição).
Eu também acredito que a gente tenha a obrigação de melhorar o mundo um pouco para os que estão por vir, mas acho que minha mãe estava falando com relação ao anonimato. Só que é para muito poucos ser gênio, corajoso, virtuoso, talentoso ou mesmo mau-caráter o suficiente para ser lembrado eternamente.
UFA! Tive que quebrar em três para o blogspot me deixar postar. Bjos

Michele disse...

Eu adorava Alma Gêmea também, desde quando passou a primeira vez. Gosto dessas tramas com um fundo de espiritismo. E algo me diz que gostarei também de "Escrito nas Estrelas"! A novela das 8 foi me conquistando devagar, mas não digo que adoro, não! Assisto apenas para abstrair, porque no fim do dia tudo o que eu não quero é um programa-cabeça!

Quanto às casas grandes com três gatos pingados... deve ser essa necessidade de ostentar, de mostrar que tem. A casa lhe dá a falsa sensação de poder. É status!

Um beijo, moça!

Moara Ribeiro disse...

Oi Luna!

sou Moara, do blog Pulsando a todo instante e vim aqui te sugerir o tema.

Acompanho seu blog a um tempo e gosto muito das suas opiniões e forma que você escreve. Pensei em várias possibilidades mas, hoje, por acaso, me veio a cabeça um tema que pode parecer batido para alguns mas, acredito que a sua característica de escrita pode me passar algo que nunca encontrei nos textos que li sobre o assunto.

Quero que você fale sobre a 'falta de identidade' do povo brasileiro que idolatra, cada vez mais, a pátria alheia. Você se inclui nessa parte da população? O que você acha disso? Essa parte é uma exceção ou a grande maioria? Mostre sua opinião, com a dose de polêmica que você tem e eu não preciso nem sugerir.

:*

Aline J. Romy disse...

Eu não gosto muito dessa novela das oito, confesso que assisto só por assistir, mas acho ela muito chata! E eu gostava mais de Caminho das Indias foi uma das que mais gostei, mas odiei o final --'
E algo me diz que gostarei também de "Escrito nas Estrelas"! [2]